A MULHER NA JANELA

Meu pai amado. Cada cena era uma “não acredito, não acredito nisso”. Como puderam fazer isso com esse filme?

Infelizmente a surpresa foi negativa. O filme é raso demais, desmerece a inteligência e boa vontade do espectador e ainda desperdiça o talento de Amy Adams, Gary Oldman e Julianne Moore (!!!!!!!!!!!!). O filme tem pouco menos de 90 minutos e ainda assim se torna uma experiência insatisfatória.

Na trama conhecemos a Anna Fox (Adams) que mora sozinha há mais de 10 meses por estar separada do marido e da filha. Ela passa os dias bebendo vinho, dormindo e vendo filmes, vez ou outra vai até um psicólogo. Sua vida só muda quando uma nova família se muda para a casa do outro lado. Sua curiosidade pelos novos vizinhos a leva a ficar espiando com sua câmera até ver o que não devia.

Parece interessante, seu sei, mas Joe Wright (O Destino de uma Nação) teve dificuldades em trazer um filme que causasse tensão, suspense e empatia. Faltou profundidade na construção da dor da personagem principal, que parece o tempo todo fragilizada demais, mesmo com citações e muitas garrafas de bebidas para insinuar os efeitos de álcool e remédios, ela mais parece alguém triste e fragilizada. O que torna ainda mais forçosa a presença de tantos policiais na casa de uma pessoa que claramente está fora de órbita.

Os excessos também estão nas facilidades. Logo nos primeiros dias de mudança, Anna já recebe em sua casa o jovem Ethan (Fred Hechinger) e logo depois Jane (Moore) com a qual tem uma conversa na cozinha de casa e se torna a cena na qual ela mais interage normalmente com alguém durante o filme inteiro. Vale ressaltar que essa também é a única cena longa de Moore.

Mas ainda há mais coisas ruins nesse filme, principalmente a saída achada para solucionar os casos. PARE POR AQUI, se você ainda não viu, pois HAVERÁ SPOILER.

Como pode um rapaz sem qualquer passado ser inserido daquela forma na cena, como o grande causador dos estragos e ainda assim ter mais espaço na trama que Julianne Moore que aparece em apenas em pequenos flashes na primeira hora do longa? Sigo esperando respostas. O roteiro frouxe não conseguiu usufruir do talento dos atores, gerar tensão ou empatia. Realmente um desperdício.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s