Ataque de Cães

Ataque de cães (The Power of Dog) chegou a última quarta-feira (1º/12), na  Netflix e é a obra prima de estreia da premiada diretora Jane Campion. 

Rose Gordon (Kirsten Dunst) se casa com George Burbank (Jesse Plemons) e vai viver na fazenda com ele e o irmão dele, Phil Burbank (Benedict Cumberbatch). 

Quando os caubóis visitam o restaurante Red Mill, conhecem Rose, a viúva e proprietária viúva do local que vive com o filho, Peter, (Kodi Smit-McPhee) um jovem de hábitos delicados que decidi estudar medicina em uma cidade distante logo após o casamento da mãe. 

Os primeiros minutos da trama, que se passa em 1925, parecem nos conduzir para perceber as diferenças entre os irmãos Burbank, fazendeiros ricos de Montana. George  e amável, gentil, educado e bem vestido, tem bons costumes , enquanto Phil se mostra  grosseiro, misógino, homofóbico e frio. 

Phil abraça o estereótipo do homem rústico, de poucos modos, bem ao estilo do Velho Oeste, dos filmes de Western. Seu único carinho e respeito só aparecem ao citar o grande amigo e parceiro de trabalho, o lendário Bronco Henry, que morreu há 20 anos, mas continua sendo muito presente na memória dele… Cumberbatch está irretocável. 

Rose (Dunst) é uma viúva sofrida, assustada e morrendo aos poucos, encurrala pelos olhares acusadores de Phil, olhares esses que ganham planos detalhes para mostrar a expressividade e crueldade do personagem.   

O filme ganha novos contornos com o retorno de Peter à cidade, durante as férias escolares. Ele volta para morar com a mãe e o padrasto no rancho no qual Phil. 

Ao contrário do que Rose espera ou deseja, Peter constrói uma amistosa amizade com o caubói, aprende a montar, visita o celeiro e começa a sair para caçadas. Uma abertura que mostra a relação conflituosa de Phil com os próprios sentimentos.

Jane Campion constrói uma narrativa diferenciada, que releva sentimentos complexos por meio diáologos fortes, mas com a inserção de cenas sutis e delicadas que revelam o contexto e completam o entendimento do público ainda que não exista qualquer fala dos personagens.

Além da narrativa, da complexa criação do personagem Phil, da atuação brilhante de Benedict, ainda temos a fotografia como destaque. 

Ari Wegner é a responsável por captar a beleza e grandiosidade dos cenários, filmados na Nova Zelândia e entregar cenas em tons frios e planos amplos que nos fazem estar dentro dentro do Velho Oeste, em um longa atemporal.

A produção é baseada no livro de Thomas Savage, de 1967, e vem como uma forte concorrente do streaming para a temporada de premiações 2022. Ah, vale ressaltar que Dunst e Plemons são um casal na vida real . 

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s