Não olhe para cima

Adam Mackey traz mais um trabalho “ame ou odeie”.  Don’t look UP é aquele filme presente da Netflix e que já chega concorrendo a melhor comédia no Critics Choice.  Mackey atira para todos os lados, ninguém está impune, seja nerd, famoso, negacionista ou ativista. 


Na trama Kate Dibiasky (Jennifer Lawrence), estudante de astronomia, e seu professor Dr. Randall Mindy (Leonardo DiCaprio) fazem uma descoberta surpreendente de um cometa que está indo em direção à terra e vai colidir em seis meses e 14 dias. 


Ao abordar o assunto o filme mantém a constante sensação de incômodo no espectador, mas também nos personagens que demonstram isso com náuseas, ataques de pânico, além dos recursos que deixam o rosto em closes e fitam os olhos alarmados dos protagonistas. 

O cometa  pode ser facilmente substituído por problemas ambientais, crises sanitárias e outros problemas globais que afetam a sociedade. 

Entre os vários absurdos,  a empresa de celulares Bash tem destaque. Ela consegue revolucionar a forma como responde aos sentimentos mais perturbadores da vida humana: antes que você sinta, ela te enviar vídeos para te deixar feliz. Realmente a panaceia de todos os males, não?  

Ariana faz Riley Bina aquela famosa cheia de polêmicas no currículo, mas engajada em causas ambientais e que usa suas redes para ajudar. Ser rico e influente ainda é uma forma de despertar pessoas pelo que você luta. Cuidado com quem você segue.

DON’T LOOK UP, MERYL STREEP as PRESIDENT JANIE ORLEAN. Cr. NIKO TAVERNISE/NETFLIX © 2021


Temos ainda a presidente Orlean (Meryl Streep) e seu filho e Chefe de Gabinete Jason (Jonah Hill),  que tentam se beneficiar em tudo, inclusive de um evento que exterminara a humanidade, real demais, não? (Thank you, Mackey). 

Timothée Chalamet é um personagem adorável. Jovem, marginalizado e que esconde suas inclinações religiosas, mas ainda acredita na chegada no cometa, nos cálculos científicos e deseja se manter ao lado de Kate até o fim do mundo.


Brie (Cate Blanchett) é a personificação da vergonha jornalística e também a que mais se encaixa no nome do filme “não olhe para cima”. Ela quer pular as partes chatas da vida e apresenta um programa que busca levar apenas os fatos de forma espirituosa e gentil, chega a ser cansativo. 
Não olhe pra cima também pode ser traduzido como  ‘Não veja os danos’, ‘Não se preocupe com os demais’, ‘Não ligue para os estragos’, ache uma forma de se dar bem, afinal enquanto uns choram outros vendem lenços.

Mackey é criativo, ele provoca, incomoda, faz rir e consegue entregar sua história de fim de mundo, transbordante de sarcasmo. 

No fim, ele parece cansado. Escolhe fechar uma forma que nos leva a pensar que só nos resta tentar, estar com quem amamos e fazer uma prece para suportar os dias sombrios. ———
Aguente. Tem cena pós crédito e olha, são duas que conseguem ser ainda mais absurdas que o filme! 
Como disse, é um filme ame ou odeie. É Mackey sendo realista, sarcástico e prolixo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s