DESERTO PARTICULAR

Deserto Particular é o filme brasileiro escolhido pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais, para representar o Brasil na corrida por um lugar entre os 5 filmes estrangeiros no Oscar 2022. Vale lembrar que o longa concorria com 7 Prisioneiros, com Rodrigo Santoro, e Medida Provisória, de Lázaro Ramos. 

O drama acompanha a vida conturbada de Daniel, um ex-policial que se apaixona por Sara, uma mulher que ele conheceu virtualmente e logo se torna seu ponto de fuga da bagunça que sua vida está, em Curitiba.

O longa inicia apresentando os problemas que Daniel tem e como ele divide os cuidados do pai, um ex-militar doente, com sua irmã, uma jovem lésbica e que pensa em sair de casa para viver seu amor. O  alívio da vida difícil em Curitiba vem das longas conversas com Sara.

Quando ela some, passa a não responder suas mensagens por vários dias, a única linha que os unia se vai, então ele resolve deixar tudo, atravessar o país e ir em busca dela. 

Após horas de viagem de carro, sem deixar qualquer recado para a família, ele começa uma caçada por Sara para saber o que pode ter acontecido. 

Em um cenário agora árido, de Sobradinho, no Nordeste, Aly Muritiba aposta na mudança geográfica para acentuar ainda mais a mudança de visão sobre o que é considerado certo e errado, classe social e tradições dentro de um mesmo país. 

A trilha inclui novos hits brasileiros e clássicos românticos dos anos 90. Essa passagem de um estado para o outro altera também a fotografia que alterna entre o cinza da cidade grande e laranja e vermelho bastante saturados para apresentar as cenas sob o forte sol, no modesto interior nordestino. 

É debaixo desse sol e sobre esse solo seco que acompanhamos o aspecto bruto de Daniel, um homem que tem preconceitos com os próprios sentimentos, mudar e se desfazer ao encontrar Sara.

Aly Muritiba e Henrique dos Santos conseguiram criar uma narrativa cheia de nuances, empática e que revela uma pluralidade de visões, mas entre os muitos caminhos que poderiam levar ao final, apenas um foi escolhido, o do amor. 

Os créditos subiram na tela sob forte aplauso. Eu saí feliz da sala. 

Queria poder contar mais, mas já que não consigo seguir sem spoiler, paro por aqui. 

Filme assistido durante a 45ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s